quarta-feira, 21 de março de 2012

Guia de Bebidas Parte II - Bebidas Fermentadas e Outras


Cachaça

Cachaça, pinga, ou canha (no Rio Grande do Sul) é o nome dado à aguardente de cana, uma bebida alcoólica tipicamente brasileira. Seu nome pode ter sido originado da velha língua ibérica – cachaza – significando vinho de borra, um vinho inferior bebido em Portugal e Espanha, ou ainda, de "cachaço", o porco, e seu feminino "cachaça", a porca. Isso porque a carne dos porcos selvagens, encontrados nas matas do Nordeste – os chamados caititus – era muito dura e a cachaça era usada para amolecê-la.
É usada como coquetel, na mundialmente conhecida "caipirinha".
É obtida com fermentação da garapa de cana-de-açúcar. A fermentação do melaço, também utilizada, também dá origem ao rum.
A cana-de-açúcar, elemento básico para a obtenção, através da fermentação, de vários tipos de álcool, entre eles o etílico. É uma planta pertencente à família das gramíneas (Saccharum officinarum) originária da Ásia, onde teve registrado seu cultivo desde os tempos mais remotos da história.

Cerveja

cerveja (do latim cerevĭsĭa, que por sua vez vem do gaélico) é uma bebida produzida a partir da fermentação de cereais, principalmente a cevada maltada, e acredita-se que tenha sido uma das primeiras bebidas alcoólicas a serem desenvolvidas pelo ser humano.
Tipos de cerveja
Há muitos tipos diferentes de cerveja. Uma descrição detalhada dos estilos de cerveja pode ser encontrada na página de Internet da Beer Judge Certification Program (Programa de Licenciamento dos Avaliadores de Cerveja).
Lager - As lagers (em especial as claras) são, provavelmente, o tipo mais comum de cerveja consumida. Elas são originárias da Europa Central (provavelmente da atual Alemanha), tirando seu nome da palavra germânica lagern ("armazenar"). De baixa fermentação, são tradicionalmente armazenadas em baixa temperatura por semanas ou meses, clareando, amadurecendo e ganhando maior quantidade de dióxido de carbono. Atualmente, com o aperfeiçoamento do controle de fermentação, muitas cervejarias de lagers usam períodos consideravelmente menores para armazenamento a frio (de 1 a 3 semanas).

 Embora existam muitos estilos de lagers, a maioria delas é clara na cor, com alto teor de gás carbônico, de sabor moderadamente amargo e conteúdo alcoólico entre 3-6% por amostra. Os estilos de lager incluem: Bock,Heineken, Doppelbock, Eisbock, Munchner Helles, Munchner Dunkel, Maibock, Dry Beer, Export, Märzen (feita somente para a Oktoberfest bávara), Pilsener e Schwarzbier (cerveja preta).

 Malzbier - Malzbier é um tipo de cerveja, doce e com baixo teor alcoólico (geralmente entre 0 – 2,5%), de cor escura, que é fermentada com uma cerveja normal, porém com a fermentação de levedo por volta do 0 °C. O CO2 e o açúcar é adicionado depois. A Malzbier é geralmente usada como uma bebida energética.
Ale - Um pint de Stout - Cervejas de fermentação alta, especialmente populares na Grã-Bretanha e Irlanda, incluindo as mild (meio-amargas), bitter (amargas), pale ale (ale clara), porter (cerveja escura muito apreciada por estivadores) e stout (cerveja preta forte). As cervejas de fermentação alta tendem a ser mais saborosas, incluindo uma variedade de sabores de cereais e ésteres produzidos durante a fermentação que lhe conferem aroma frutado; são também de baixo teor de gás carbônico, fermentadas e servidas idealmente numa temperatura mais elevada do que as lagers. Diferenças de estilo entre cervejas de fermentação alta são muito maiores do que aquelas encontradas entre as cervejas de baixa fermentação e muitos estilos são difíceis de categorizar. A cerveja comum da Califórnia, por exemplo, é produzida usando o fermento para lagers em temperaturas para ales. As cervejas à base de trigo são geralmente produzidas usando um fermento para ales e então armazenadas, às vezes com um fermento para lagers. A cerveja belga Lambic é produzida com fermentos selvagens e bactérias, nativos da região do vale do rio Zenne (Pajottenland), perto de Bruxelas. Ale verdadeira é um termo para as cervejas produzidas usando métodos tradicionais e sem pasteurização.
 Porter - Cerveja do tipo ale produzida originalmente na Inglaterra, a porter é fabricada a partir do processo de fermentação alta, assim chamada porque ela ocorre a uma temperatura elevada, entre 15 °C e 20 °C, fato que leva as leveduras a subirem à superfície, resultando em uma cerveja forte e encorpada.
Pilsen - Cerveja do tipo lager, amarga, de coloração dourada e bastante transparente. É o gênero de cerveja mais consumido em todo o mundo, pertencem a este gênero cervejas como Carlsberg, Brahma, Quilmes, Budweiser... (ie: basicamente todas as cervejas mais consumidas do planeta). O nome pilsen é derivado de Pilsen, nome alemão da atual cidade de Plzeň, localizada na República Checa, onde este estilo de cerveja foi originalmente produzido.
Cerveja sem álcool - Durante o processo de fabricação da cerveja é possível interferir na produção durante a fermentação, em que, alterando o tempo, a temperatura e a pressão, é possível produzir tradicional e naturalmente a cerveja sem álcool. Atualmente é também utilizado outro processo, em que através de um tipo de microfiltragem é possível retirar o álcool da cerveja.
“Pessoas que gostam de cerveja sem álcool não gostam verdadeiramente de cerveja; elas apenas gostam de urinar!” Ciro Menescal.

Hidromel

Hidromel é uma bebida alcoólica fermentada à base de mel e água, sendo utilizados, em geral na sua produção, uma proporção de uma parte de mel por duas de água, mas pode variar conforme a receita ou a região de produção. Consumida desde a antiguidade, sua fabricação é anterior à do vinho e seguramente à da cerveja.
Na Grécia clássica, se chamava "melikraton" e, pelos romanos, era conhecida pelo nome "agua mulsum", ainda que esta possa ser uma variante feita com vinho de uva adocicado com mel.
Outras culturas antigas consumidoras desta bebida foram os celtas, os saxões e os vikings. Também era conhecido o consumo de uma bebida similar pelos maias.
Existia a tradição de que os casais recém-casados deveriam consumir esta bebida durante o primeiro ciclo lunar após as bodas para nascer um filho varão. Daí surgiu a tradição atual da lua de mel.
Na Mitologia Nórdica, o hidromel aparecia como a bebida favorita dos deuses.

Saquê

Saquê (português brasileiro) ou saqué (português europeu) (em japonês: , sake, também お酒, osake e 日本酒, nihonshu) é uma bebida fermentada tradicional do Japão, fabricada pela fermentação do arroz; tomada geralmente quente e em grandes comemorações, como Ano Novo e cerimônias xintoístas de casamento.
A primeira produção de saquê de que se tem notícia data do século III e ocorreu em Nara, antiga capital japonesa. Diversas regiões do país o produzem, mas a região que leva a fama de fabricar o melhor saquê é o distrito de Fushimi, em Kyoto. Existem hoje em torno de 1.600 fabricantes de saquê no Japão. No Brasil, a bebida é produzida por empresas como a Sakura e a Azuma Kirin. Grande variedade de saquês brasileiros e japoneses podem ser encontrados em lojas no bairro da Liberdade, em São Paulo.
Classificado na mesma categoria do vinho, o saquê é um fermentado natural, com teor alcoólico em torno de 16%, cujos únicos ingredientes são arroz e água.
Do arroz sai a matéria prima para a fabricação do saquê, o koji, que resulta da remoção do amido e do excesso de óleo e proteínas contidos no arroz. Para se chegar ao koji, é preciso que o arroz seja polido, de modo a perder de um terço até a metade de sua superfície original, sendo depois macerado, enxugado, vaporizado e resfriado a uma temperatura de 5º C.
Em sequência, o koji é misturado com água e arroz vaporizado para que se forme o shubo, uma pasta de grãos. O shubo é colocado num tanque e fermentado por trinta dias, com adição do koji e novamente de arroz vaporizado.
Forma-se aí o maromi, uma mistura de bolo de saquê, sólido, e do saquê, líquido. Feita a peparação por filtragem e submetido o líquido a uma ultrafiltragem, para garantir o sabor fresco da bebida, o saquê está pronto para ser consumido. Poderá ser mantido em garrafa por até dois anos, sem perder seu sabor natural.
Como beber
A melhor temperatura para o saquê ser consumido é de 35º C, porque nesta temperatura se percebe melhor as delicadas características da bebida. Mas pode ser bebido em temperaturas superiores ou inferiores, de acordo com a estação do ano.
Quando aquecido, a uma temperatura de até 45º C, o saquê é conhecido por kan. Torna-se encorpado e adquire um sabor acentuado de melão.Quando resfriado, o saquê é conhecido por higa e assume um sabor frutado. Ao ser servido é acrescentado sal às bordas do copo.
É geralmente servido em copos de porcelana antiga ou em pequenos copos de madeira, conhecidos por masu.

Sidra

 A sidra é uma bebida preparada com sumo fermentado de maçã. Seus maiores produtores são Inglaterra e França, no entanto é também bastante popular na Suíça, Alemanha, Espanha, Portugal, Brasil, Irlanda, Áustria, África do Sul e Austrália.
É uma bebida muito popular na Região Autónoma da Madeira, tendo uma larga tradição na freguesia de Santo António da Serra.




Outras bebidas:


Grenadine

Grenadine é tradicionalmente um xarope vermelho. É usado como ingrediente em coquetéis, tanto por seu sabor e dar um tom avermelhado/rosa para bebidas mistas. "Granadinas" também são feitos através da mistura do xarope com água fria em um copo ou jarra, às vezes com gelo.
O nome "grenadine" vem da palavra francesa granada que significa romã. Grenadine foi originalmente preparado com suco de romã ou suco de cereja, e açúcar. No entanto, "grenadine" também é um nome comum aplicado aos xaropes e bebidas consistindo de outros sucos de frutas (por exemplo, framboesa, groselha, amora) e calda de açúcar. O sabor característico pode ser obtido a partir de uma mistura de suco de groselha e sucos de outras frutas com o sabor groselha dominando.
A indústria de alimentos, entretanto, tem substituído amplamente bases fruta grenadine com ingredientes artificiais. A marca Mott "Rose", de longe a marca grenadine mais comum nos Estados Unidos, está agora totalmente fora formulado de uma base de xarope de milho rico em frutose.
Grenadine pode ser criado por simmering suco de romã por 15 minutos no fogão, em seguida, adicionando o açúcar refinado. Grenadine também pode ser preparado rapidamente "frio", adicionando açúcar refinado para o suco de romã frio, então, agitando vigorosamente por alguns minutos. Xarope de grenadine é comumente usado para misturar "cereja" Coca-Colas (também chamado Grenadinis ou cocktails Roy Rogers), rosa limonada, cocktails Shirley Temple, Tequila Sunrises, Bombs Cherry (, de Bailey Kahlua e Grenadine) e sabor encharcada de cerejas, tornando-os vermelho brilhante. Estes por sua vez são muitas vezes utilizados em fruitcakes.

Vermute
Vermute ou vermouth é o nome de uma bebida à base de vinho que tem como erva principal a losna ou absinto (absinthium). Basicamente, o vermute é composto de 70%, no mínimo, de vinho, álcool, açúcar e infusões de ervas de diversos tipos, que dependem de cada fabricante. Todo o bom vermouth tem em sua composição pequenas quantidades de água salobra para reduzir sua acidez.
Vinho é usado como o ingrediente base para vermute. Cada fabricante adiciona álcool e uma mistura de ingredientes secos, consistindo em ervas aromáticas, raízes, cascas e, para o vinho de base, que é então engarrafado e vendido. Os dois tipos principais de vermute são o doce e o seco. Vem em várias cores, mas principalmente branco ou vermelho. Além de ser consumida como uma drink ou cocktail, vermute é por vezes utilizado como um substituto para o vinho branco no cozimento. Empresas francesas e italianas produzem a maior parte do vermute consumida em todo o mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Outras postagens que você pode gostar:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...